SP Cidade Linda recolhe 143,5 toneladas de lixo da Avenida Inajar de Souza

E-mail

Oitava operação do programa limpou a via e 19 praças. Zeladoria incluiu a conservação de mais de 45 mil metros quadrados de áreas verdes

 14h40  24/02/2017

De Secretaria Especial de Comunicação

O SP Cidade Linda recolheu em uma semana 143,5 toneladas de lixo da Avenida Inajar de Souza, via que interliga os bairros da Freguesia do Ó, Cachoeirinha e Brasilândia, na Zona Norte. Em sua oitava operação, o programa intensificou a limpeza da via e de 19 praças da região. Trabalhos de zeladoria foram iniciados no último sábado (18) e incluíram a manutenção de mais de 45 mil metros quadrados de áreas verdes.

A operação beneficiou os sete quilômetros de extensão da via e contou com o trabalho de 910 pessoas e 182 veículos e equipamentos, incluindo duas varredeiras mecanizadas e dois aspiradores para limpeza pública.

Em uma semana, 28 quilômetros de guias e sarjetas foram varridos e pintados, com quase três toneladas de cal. Para incentivar a conservação da limpeza dos espaços públicos, foram realizadas ações de conscientização ambiental com a população entre 14 de fevereiro e 18 de fevereiro. A avenida também recebeu 14 novas lixeiras do modelo especial, feitas de ferro galvanizado.

inajar - depoisA via acompanha em toda sua extensão o leito do Córrego Cabuçu de Baixo. A drenagem foi melhorada com a limpeza de 487 pontos de captação, sendo 461 bocas de lobo, 9 bocas de leão e 17 bueiros. As galerias também passaram por manutenção, com 470 metros de desobstruções. Novas tampas também foram instaladas em 42 bocas de lobo.

 

As equipes da ação também efetuaram a limpeza com lavagem de 19 praças da região, que utilizou 93 metros cúbicos de água de reúso e 350 litros de produtos químicos. Foi realizada a conservação do total de 45.814 metros quadrados de áreas de jardins, além da poda de 163 árvores.

Entre os espaços verdes que passaram por manutenção estão as praças Mário Fabre, Almicar Costa, Aníbal do Nascimento, João Milton de Vasconcelos, Miguel Alferez, Waldemar Gaspar de Oliveira, Benedicto Durval Pestana Barbosa, José Balduíno, Gercino José de Souza e Victorino Finzeto.

antes inajar

Praça Victorio Finzetto - Antes

inajar - depois

Praça Victorio Finzetto - Depois

A circulação pela via também recebeu melhorias com a manutenção do asfalto. A ação fresou mais de 800 metros quadrados, aplicou 98,3 toneladas de massa asfáltica e tapou 78 buracos. Foram realizados reparos em 97 metros quadrados de calçadas, 11 metros quadrados de muretas e 15 metros de guias, além de reformas de acessibilidade.

Ao longo da via, a Companhia de Engenharia de Trafego revitalizou ainda 54 placas, pintou 300 metros quadrados de sinalização horizontal e fez manutenção de 24 cruzamentos com semáforos.

As ações do programa são coordenadas pela Secretaria de Prefeituras Regionais, contando com apoio das pastas de Desenvolvimento Social, Serviços e Obras, Ilume, Transportes e Mobilidade, Segurança Urbana e Verde e Meio Ambiente.

Todas as semanas, o SP Cidade Linda promove em uma grande via o trabalho integrado das áreas de limpeza urbana, segurança pública, assistência social e de empresas que prestam serviços à gestão e de empresas parceiras.

A região da Avenida Inajar de Souza foi a oitava a receber o programa. A operação também já revitalizou as avenidas São Luís, Ipiranga, Mateo Bei, Tiradentes, Santo Amaro, 23 de Maio, Nove de Julho, Paulista e a Praça da República.

 Próximas ações do SP Cidade Linda

25 de fevereiro - Avenida Dona Belmira Marin

04 de março - Avenida Rubem Berta

11 de março – Praça da Sé

18 de março – Cruzeiro do Sul

25 de março – Marechal Tito

A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência realiza a segunda edição do projeto “Samba com as Mãos”, que disponibiliza vídeos com a tradução em Língua Brasileira de Sinais (Libras) dos 14 sambas-enredos das agremiações que pertencem ao Grupo Especial de São Paulo. O objetivo é incluir pessoas surdas ou com deficiência auditiva na maior festa cultural do país.

A iniciativa foi articulada pela Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo e pela SPturis, com as traduções sendo feitas por uma equipe de 17 intérpretes da Central de Interpretação de Libras (CIL) da Prefeitura de São Paulo.

A equipe de intérpretes da CIL começou a estudar os sambas enredos ainda no dia 24 de janeiro, realizando reuniões com algumas escolas para entender o significado das músicas mais complexas.

“Primeiro estudamos a letra junto com a sinopse, para entender a inspiração do samba e o que as escolas querem transmitir. É por meio desse levantamento, buscando equivalências, que é feita a construção da letra com a língua de sinais. E quando não conseguimos entender esse contexto, com a sinopse e a letra da música, procuramos a escola de samba, porque nem sempre a nossa interpretação pessoal é a correta. Além disso, também contamos com dois interpretes surdos na equipe para esses casos de tradução, porque eles têm uma percepção melhor dessa parte visual do que nós, que escutamos o samba”, explicou a interprete da CIL Fernanda Bottosi.

 

De acordo com o Censo 2010 do IBGE, a capital possui 516 mil pessoas que se autodeclararam com alguma deficiência auditiva, sendo 120 mil surdos ou com grande dificuldade em ouvir.

 

Veja abaixo os vídeos das traduções dos sambas-enredos para Libras de 2017:

 

Acadêmicos do Tatuapé

Acadêmicos do Tucuruvi

Águia de Ouro

Dragões da Real 

Gaviões da Fiel

Império da Casa Verde

Mancha Verde

Mocidade Alegre

Nenê de Vila Matilde

Rosas de Ouro

Tom Maior

Unidos de Vila Maria 

Unidos do Peruche

Vai-Vai

 

Você está aqui: Releases SP Cidade Linda recolhe 143,5 toneladas de lixo da Avenida Inajar de Souza